Finanças

A inadimplência faz parte do negócio

Em outras palavras, ficar inadimplente é deixar um espaço vazio, ser incapaz de encher uma medida qualquer, neste caso “pagar”
Mas por que as pessoas deixam de honrar com os seus compromissos financeiros?
As razões conhecidas muitas vezes são:
“Desemprego; falta de dinheiro; esquecimento; falta de controle; não recebimento de faturas e boletos; não concordância, como por exemplo taxa de juros; resolvem simplesmente não pagar.”
Seja como for, é muito importante entender a diferença entre “estar inadimplente” e “ser inadimplente”. Pessoas passam por dificuldades financeiras e, em sua grande maioria, têm interesse em pagar. Em outras palavras, nem todo mundo é “mau”.
O segredo é separar o bom do mau pagador, e isso não tem a ver somente com a questão das restrições no CPF.
Quando você diz “a inadimplência do meu negócio é zero” você está dizendo que não corre riscos, logo só aceita pagamentos à vista ou no cartão. Isso significa que bons pagadores, sem condições de pagar à vista ou utilizar o cartão, ficam de fora.
Olhe em sua volta e veja a infinidade de coisas que foram adquiridas em parcelas. A parcela pressupõe um risco financeiro que foi assumido por alguém que tinha crédito.

Muitas empresas viram no parcelamento uma forma de ganhar dinheiro. Por exemplo, todas as grandes montadoras de automóveis possuem um banco próprio. Por que fazem isso? Não poderiam simplesmente direcionar os clientes para os bancos tradicionais e “não correrem risco”? Claro que não, parcelar, financiar, emprestar e facilitar são grandes negócios, dede que a inadimplência seja prevista e controlada. E acredite, a linha final é sempre positiva porque o denominador, que são as vendas, é suficientemente alto para absorver as perdas. Por exemplo, se eu digo a você que a minha inadimplência é de R$ 10 Mil por mês, isso lhe soa muito ou pouco? Agora digamos que você considere muito e eu diga que a minha receita foi de R$ 1 milhão, logo a minha inadimplência foi de 1%. Isso é muito ou é pouco? Mas consideremos que a minha inadimplência seja de R$ 1 mil, é pouco, não é? Mas a minha receita foi de R$ 3 Mil, neste caso a inadimplência foi mais de 30%!!! Perceba a diferença entre a inadimplência absoluta (valor) e relativa (percentual). Esse é o segredo, ganhar não em função da inadimplência, mas ganhar mesmo com inadimplência.

Você deve estar se perguntando como é possível parcelar, consequentemente vender mais, correndo menor risco?

A resposta é simples, com critérios. Mas não com critérios subjetivos e sim com inteligência financeira, que utilizam modelos estatísticos, parâmetros e políticas que tornam o processo de concessão via parcelamento muito mais seguros.

O que achou desse post?

Maravilhoso
0
Feliz
0
Amei
0
Não gostei
0

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in:Finanças